Moeda estrangeira

Quem pensa em viajar para o exterior sabe que precisa usar a moeda local dos países de destino para realizar o pagamento de tudo que for comprado, portanto, é bom se antecipar e comprar a moeda estrangeira no Brasil antes mesmo de viajar, pois isso facilita muito a vida de quem é turista, afinal, essa pessoa não precisa procurar um banco ou uma casa de câmbio no país que irá visitar, caso tenha se adiantado.

No entanto, para comprar uma moeda estrangeira, seja em espécie, seja digitalmente,  é importante entender os custos que envolvem essa operação que vão desde a taxa de câmbio e impostos nacionais. 

Neste artigo, abordaremos cada um desses custos para quem está pensando em comprar dólares, euros, entre outras moedas importantes para o turismo.

IOF

Essa sigla significa Imposto sobre Operações Financeiras e ela representa um imposto federal que é aplicado na compra de moedas do exterior no Brasil.

As alíquotas variam muito dependendo de fatores como a economia brasileira que,hoje em dia, não está em boas condições.

Geralmente, seu custo é de 1,1% para dinheiro em espécie e 6,38% para conversões pagas com cartão de crédito.

Taxa de câmbio

Os bancos e até mesmo as casas de câmbio são os principais locais que as pessoas procuram para converter reais em dólares, por exemplo, aqui no Brasil.

Mas, poucos sabem que essas instituições também cobram para realizar a conversão e a cobrança pode variar de uma instituição para outra, dependendo, também, do valor a ser convertido.

Portanto, quem está buscando economia deve pesquisar em diversas instituições para entender os preços cobrados pela troca de moedas.

Tarifa operacional

Esse valor é o custo referente às operações das casas de câmbio, ou seja,  quanto uma instituição dessas irá gastar para recolher os reais e comprar dólares diretamente do exterior que também cobra outras taxas desses bancos brasileiros pelas operações.

Ou seja, na  economia, nada é grátis. Se nós pagamos uma taxa operacional é porque existe um custo também para as casas de câmbio conseguirem as moedas que precisamos no momento exato que precisamos.

Mais uma vez, a variação de preços, nesse caso, depende de cada instituição, por isso, vale a pena sempre pesquisar onde encontramos a melhor opção de compra.

Taxa de entrega

Existem pessoas que estão querendo viajar, mas não querem se estressar com a burocracia dos bancos para trocar uma moeda por outra, afinal, como tudo no Brasil, esse processo de câmbio leva pessoas à filas e senhas para depois conseguir falar com um atendente que encaminhará o cliente para outra pessoa.

Ou seja, para alguém sair com dólares de uma casa de câmbio, leva um certo tempo inerente aos processos burocráticos tão comuns neste país.

Então, caso esse indivíduo opte por receber o dinheiro trocado em sua casa, para não ter que passar por todo esse processo, ele terá que pagar uma taxa de entrega também, afinal, um profissional correrá riscos ao transportar dinheiro em espécie até a casa desse cliente e, obviamente, isso incide em um custo financeiro para quem está disposto a pagar para ficar no conforto do lar esperando as moedas estrangeiras.

Taxa swift

Apesar de existir mais esse custo, ele não é cobrado quando a pessoa opta por comprar moedas estrangeiras em espécie ou em cartão, no entanto, quando alguém pretende enviar a moeda de um país para o outro (algo muito comum entre brasileiros que têm parentes no exterior), esse custo aparece.

Essa taxa é o valor que os bancos cobram pela comunicação que eles devem ter com diferentes instituições para transferir esse dinheiro em segurança e de forma rápida para outros países.

E, assim como as outras tarifas, essa pode variar de acordo com o banco que estamos realizando essa operação e, mais uma vez, vale a pena fazer as contas para saber qual instituição cobra uma taxa mais reduzida para exercer essa mesma função.

Como reduzir a taxa de câmbio?

Muitos precisam do dinheiro para viajar ou para enviar para algum filho que está em intercâmbio e precisa urgentemente dessa grana, mas também querem fazer a conversão de reais da maneira mais econômica possível, já que, as moedas estrangeiras já estão caras por natureza e, por isso, a única forma de economizar é evitando as taxas que são pagas no momento de converter valores.

E, para conseguir descontos na taxa de câmbio, a pessoa deve procurar alguma empresa que faça essa transferência sem cobrar a margem sobre o valor de cotação, já que, esse é o fator que mais aumenta o custo dessa tarifa.

Além disso, é possível também reduzir os custos com IOF, já que, algumas instituições cobram somente 1,1% para enviar dinheiro para outras contas internacionais, preço mínimo devido ao governo brasileiro que, como sempre, cobra impostos sobre todas as operações financeiras.