IMG_6287

“Estamos Bem”: Nina Lacour e a necessidade de conversarmos sobre o luto

Confira nossa resenha de “Estamos Bem”, obra de Nina Lacour!

 As férias de inverno chegaram e Marin está sozinha. O vazio alojamento da universidade faz os dias parecerem ainda mais frios depois de deixar a Califórnia e tudo aquilo que conhecia para trás. E ninguém sabe o que motivou Marin a fazer isso porque ela não contou.

 Não conseguiu contar.

 Agora, sozinha no inverno de Nova York, Marin aguarda a chegada de sua melhor amiga, Mabel, um reencontro que pode melhorar as coisas. Talvez Marin consiga falar sobre tudo o que pesa em sua cabeça.

“Relembrar é a única forma de superar o passado”.

 Estamos Bem é um livro bem construído em diversos aspectos. É uma história sobre luto e depressão que consegue ser quase real.

  Marin não consegue conversar sobre o que aconteceu e isso a consome – um pouco sem que ela perceba, o restante convencendo-a de que é melhor assim. Ela nos conta que algo aconteceu, sendo grave o suficiente para fazê-la largar tudo o que tinha e ir para outro lugar, mas não nos conta exatamente o que. Ninguém sabe e talvez nem ela mesma tenha entendido tudo.

 A história da protagonista é intercalada entre presente e passado, de modo que somos apresentados à vida de Marin aos poucos, o que realça o quão difícil é para ela.

 Apesar de abrigar uma carga emocional forte, a escrita de Lacour é de fácil leitura. A autora consegue expressar muito bem a tristeza de Marin, deixando o livro passar sua mensagem sem problemas. Os personagens secundários não são muito bem abordados, mas isso é parte fundamental para entendermos a protagonista e o que ela passa. Na cabeça de Marin, ficar sozinha é o que pode salvá-la e isso a impede de se aproximar das pessoas.

“O que quero dizer é que você não deveria ser uma pessoa que procura a dor. A vida já tem o suficiente disso”.

 Há certa semelhança entre a personagem de Nina e a de Ava Dellaira em Cartas de Amor aos Mortos. No livro, que gira em torno da morte da irmã de Laurel, a protagonista sente dificuldade em conversar sobre o que aconteceu e como isso ainda a afeta. A falta de conversa e o fato de carregarem uma culpa que talvez não as pertença faz com que as obras de Lacour e Dellaira se assemelhem. Um grande ponto positivo para os leitores que gostaram de Cartas de Amor aos Mortos.

 Com uma narrativa triste, Nina Lacour passa bem sua mensagem sobre a importância de conversarmos sobre o luto no nosso tempo e colocar para fora aquilo que nos atormenta quando estivermos prontos para fazê-lo, e nos entrega uma ótima história.

Postado inicialmente em SP6News.

Título: Estamos Bem

Autor: Nina Lacour

Editora: Plataforma 21

Páginas: 224

Encontre por aí: Amazon | Submarino | Saraiva

comments

Amante de Sherlock Holmes e viagem no tempo, de vez em quando escreve uns textos por aí.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *