as coisas que eu aprendi depois que eu morri resenha

Resenha: As coisas que eu aprendi depois que eu morri

Pense na sua vida. Pense em quem você é.
Pense em todos aqueles que você conhece e ama.
Pense no que você já viveu e ainda quer viver, e em todos os bons momentos.
Pense sobre tudo isso.
E agora… destrua.

 Depois de tudo o que aconteceu, a única coisa que importa para Mariana é sobreviver. E encontrar Bernardo.

 Armas biológicas da Terceira Guerra Mundial resultaram em pilhas e mais pilhas de corpos por todos os lados. Há sangue e cheiro de morte por onde quer que os poucos sobreviventes passem. Quase não há mais vida, mas, para Mariana ainda existe uma chance de reencontrar Bernardo. E isso significa uma chance de continuar vivendo.

 Problemas graves na vida de Mariana afastaram-na de Bernardo, de São Paulo, e quando a guerra eclodiu, ela não conseguiu encontrar a pessoa em que mais confiava, a pessoa com quem sabia que poderia ser ela mesma.

 Nesse caminho, os dois tentam sobreviver onde quase não há vida, onde  a maldade humana se revela mais monstruosa do que o pensado e lutam para superar os fantasmas do passado que ainda existem.

Estou te perguntando que merda você está ensinado a você mesmo quando sua estima depende da admiração alheia. É disso que estou falando. (+)

 As coisas que eu aprendi depois que eu morri é uma distopia que se passa em território nacional e prende o leitor pela forma como é escrita e como trabalha os personagens.

 O livro de Victoria Ribeiro tem capítulos alternados entre Mariana e Bernardo.

 Mariana conta a história para quem lê como se tivesse contando a um amigo imaginário, um mecanismo da personagem para conseguir seguir em frente que funciona muito bem para o leitor. Mariana sofreu muito com sua família e, por múltiplos problemas, acabou se afastando de alguém que a entendia, alguém companheiro de verdade. Bernardo se tornou uma pessoa muito importante para ela depois que se conheceram, levando o relacionamento dos dois e a vontade dela de encontrá-lo para além de um romance adolescente.

 Bernardo teve uma vida bem conturbada também. Muitos problemas em casa obrigaram o garoto a tomar decisões difíceis, situações que ainda o perseguem no presente caótico. Contaminado por uma arma biológica, Bernardo tem que lutar para sobreviver e encontrar Mariana, alguém que se tornou especial demais para ele.

  As coisas que eu aprendi depois que eu morri apresenta efeitos de uma guerra fictícia que chega a parecer real. Pilhas de corpos e humanos agindo como monstros não são novidades, mas assustam. Mulheres e crianças sendo vendidas por comida e armamento assustam. Abusos sendo tratados como pequenos deslizes assustam. Maridos agredindo esposas assustam. É uma ficção que se assemelha demais a uma realidade que preocupa.

Além dos efeitos da guerra, o livro critica alguns costumes que temos. Mariana nos conta o que aprendeu quando likes e comentários deixaram de ser importantes e como precisamos aprender limites antes que seja muito tarde.

 Victoria Ribeiro sabe trabalhar com as palavras, criando personagens quase reais e uma história que precisa da nossa atenção.

Título: As coisas que eu aprendi depois que eu morri

 Autor: Victoria Ribeiro

Páginas: 221 páginas

Encontre por aí: Amazon

 

comments

Amante de Sherlock Holmes e viagem no tempo, de vez em quando escreve uns textos por aí.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *