P_20180312_233422_vHDR_On

Resenha:  A Longa Viagem a Um Pequeno Planeta Hostil

Como será viver viajando pelo espaço e convivendo com diversas espécies?! Venha conhecer Andarilha e sua longa jornada…

Rosemary Harper é uma humana, nascida e criada em Marte, destinada a deixar o seu passado para trás e seguir rumo a uma nova vida. Buscando esquecer de todos e por tudo que passou, a moça embarca numa nova jornada, na nave espacial Andarilha. Trabalhando como guarda-livros da nave, a jovem precisa se acostumar a nova rotina de viver no espaço, com espécies totalmente diferentes, o que se mostra um grande desafio.

“Não havia nada no universo que pudesse durar para sempre. Nem as estrelas. Nem a matéria. Nada.”

 Andarilha, uma enorme colcha de retalhos de metal, em forma de nave espacial, possui muitas especifidades, desde a sua estrutura até a tripulação. A grande lata velha é responsável por construir tuneis que interligam localidades da Comunidade Galáctica. Apesar da desvalorização da profissão, o capitão dessa nave, Ashby Santoso, é muito satisfeito com o trabalho que realiza, mas algo em seu peito anseia por mais.

 E é essa vontade de algo a mais, que irá levar os tripulantes de Andarilha, a longa jornada a um pequeno planeta hostil. Quando surge uma oferta de interligar, um planeta afastado à Comunidade Galáctica, mesmo sem a nave possuir preparos para essa jornada, Andarilha se vê nessa aventura, por uma recompensa que pode lhes favorecer muito.

 Além de Rosemary e Ashby, temos a bordo mais três humanos, Corbin, Kizzy e Jenks, e várias espécies interagindo entre si. Somos apresentados a Sissix, uma adorável aandriskana; Dr. Chef, que é uma espécie altamente misteriosa, conhecida como Grum. E Ohan, que são sianat par de vida noturna. E para completar o pacote, temos a Inteligência Artificial, Lovey.

“Não julgue outras espécies pelas suas próprias normas sociais.”

 O principal foco da narrativa é a relação inter espécies e como ela se dá. A autora explorou com maestria, questões relativas a diversidade e a convivência com as diferenças, de forma ímpar.

 Ambientados a nave, ao longo da jornada, vamos conhecendo detalhadamente cada personagem e suas peculiaridades. E quando falo de peculiaridades, não me refiro apenas a morfologia das diferentes espécies, mas principalmente, a personalidade de cada indivíduo.

 A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil foi o primeiro livro de ficção científica, lançado pela editora DarkSide, através do selo DarkLove. Para quem não conhece, DarkLove é um selo da editora, que publica livros de escritoras. Acredito, que para iniciar a publicação de livros do gênero, a editora tenha feito uma ótima escolha com esse livro.

 A escrita de Becky Chambers é, não só envolvente, como delicada e fluida. Fiquei muito impressionada com a facilidade com que a autora lida com o ambiente, ou seja, com o universo. Algo que é tão complexo e complicado, ela nos mostra de uma maneira tão simples e direta. A escritora é filha de dois cientistas espaciais e neta de um dos integrantes do projeto Apollo, o que lhe permite extrema familiaridade para tratar o assunto.

 A edição da DarkSide não precisa nem mencionar o quanto é fabulosa, né?! O livro possui algumas ilustrações, muito bonitas por sinal, do espaço. O título do livro conversa muito bem com a história apresentada.

 A longa viagem a um pequeno planeta hostil pertence a uma série intitulada Wayfarers, sendo a obra o primeiro livro. Entretanto, os livros da série possuem cada um, um final concreto, podendo ser lidos de maneira independente. O segundo livro dessa série já foi lançado, com o título A Closed and Common Orbit, em 2016, mas ainda não foi trazido para o Brasil.

 Para quem gosta de Ficção Científica, o livro de Becky Chambers é uma ótima dica. E até mesmo para aqueles que querem explorar o gênero, fica com um ótimo início. Boa leitura!

Título: A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil

Autora: Becky Chambers

Editora: Dark Side

Páginas: 352

Encontre por aí: Saraiva|Amazon

 

comments

Uma futura bióloga, perdida em livros e apaixonada por escrever.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *