6269d51b-cf0d-48f0-835e-e2f54ee46dfd

Resenha: A Guerra que Salvou a Minha Vida, de Kimberly Brubaker Bradley

“A autora descreve com tantos detalhes os elementos constituintes da narrativa, que somos integrados àquele ambiente.” Se aventure no mundo de A Guerra que Salvou a Minha vida e conheça a incrível Ada!

 Diariamente enfrentamos diversas batalhas, que não são noticiadas nos telejornais, ou que nem mesmo são do conhecimento daqueles próximos a nós. Todos os dias vivemos guerras pessoais, algumas delas conquistadas com grandes vitórias, outras nem tanto, mas todas carregadas de imenso valor e importância para cada um de nós.

 Utilizando como plano de fundo a Segunda Guerra Mundial, A Guerra que Salvou a Minha Vida narra a história de Ada e a grande batalha que ela enfrenta, por simplesmente ter nascido e ser quem é. Ao longo da obra vamos acompanhando o seu desenvolvimento, conquistando cada vitória juntos e sofrendo também por cada derrota.

 Ada é uma doce menina de 11 anos, muita viva e esperta, mas que não sabe a capacidade que possui, por ser forçada pela mãe a acreditar que é inferior às outras pessoas. Em meio, aos abusos que sofre diariamente, a jovem cuida de seu irmãozinho Jamie, com todo cuidado e zelo, por ser seu maior amor e motivo de superação.

“De noite, a Mãe ia trabalhar, e eu dava chá ao Jamie, cantava para ele e colocava ele para dormir. Fazia tudo isso desde que me entendia por gente, desde quando o Jamie ainda usava fraldas e era muito pequeno para ir ao banheiro.”

O que Ada não imaginava era que Hitler, com sua grande Segunda Guerra Mundial, poderia salvar a menina de seus problemas. Aproveitando a evacuação das crianças da cidade para o interior, a menina entra no primeiro trem com seu irmão e vai rumo a uma nova vida. Os meninos caem de paraquedas na casa da Srta. Smith, uma velha bruxa ranzinza de um coração enorme. E nessa nova aventura, os irmãos descobrem milhares de coisas que sempre lhe pertenceram, mas que não sabiam ou até então, não existiam.

A Guerra que salvou a Minha Vida é uma obra genuína. Foi a primeira vez que me deparei com um livro da autora, mas que me arrebatou de um jeito incrível. A história nos promove sentimentos excruciantes, porém nos propicia um bem enorme a alma.

“Dei a mão a ela. Um novo e desconhecido sentimento me preencheu. Parecia o mar, a luz do sol, os cavalos. Parecia amor. Vasculhei minhas ideias e encontrei o nome. Felicidade.”

Como já foi mencionado anteriormente, a história se passa em plena Segunda Guerra Mundial, entretanto, a obra nos traz um outro lado da história, que muitas vezes é deixado de lado. Não querendo generalizar, mas é muito comum, obras que relatam fatos reais ou que tenham como plano de fundo a Alemanha, que foi ponto central desse momento da história. No livro em questão, somos abordados por um outro viés, pelo olhar de quem viveu na Inglaterra, durante esse período e que sofreu tanto, quanto os Alemães.

A autora descreve com tantos detalhes os elementos constituintes da narrativa, que somos integrados àquele ambiente. Somos retirados do Brasil do século XXI e transportados para a Inglaterra de 1939. Sentimos na pele o que a Ada enfrenta em sua jornada, compartilhamos de todos os medos, angústias, expectativas e esperanças de se viver em plena Guerra Mundial.  Acredito que isso só nos mostra o quanto a escritora pesquisou e se preparou para escrever uma arte como essa.

Ler A Guerra que Salvou a Minha Vida foi como levar um soco no estômago da vida e ser consolada logo em seguida, pela mesma. Logo nas primeiras páginas do livro, eu já me encontrei completamente envolvida com a obra e passando por sentimentos intensos e conflituosos. Essa história se tornou um dos meus livros preferidos e creio que voltarei a ler, várias e várias vezes.

Quando se trata de um livro publicado pela Dark Side, já se tornou clichê mencionar o quanto a obra é liiiiiiiiiiiiiiiiiinda. Entretanto, não me canso de engrandecer as edições feitas pela editora. A Guerra que Salvou a Minha Vida enquanto objeto é um livro maravilhoso, bem ilustrado e delicado, assim como a história. É algo que vale muito a pena investir.

Bom, para quem curte o gênero Romance, fica uma super dica de leitura. Para aqueles que assim como eu não conhecia a autora, ela se chama Kimberly Brubaker Bradley. Kimberly tem 50 anos e é americana. Ela começou a cursar Quimíca, quando fez um curso em Literatura Infantil e se dedicou a escrita. Além de A Guerra que Salvou a Minha Vida, a autora ainda conta com mais 16 obras publicadas. Em 2017 ela publicou uma sequência do livro, que foi traduzida pela Dark Side e será lançado nos próximos dias… Não perca!

Título: A Guerra Que Salvou Minha Vida

Autora: Kimberly Brubaker Bradley

Editora: Dark Side

Páginas: 240

Onde encontrar: SaraivaAmazon

 

comments

Uma futura bióloga, perdida em livros e apaixonada por escrever.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *