o mestre das cordas philippe alencar

5 frases de O Mestre das Cordas que você PRECISA ler!

 Entre magos e reis: 5 frases de O Mestre das Cordas!

  Philippe Alencar é autor de O Mestre das Cordas, obra sobre magos, magia e um mundo fantástico. A história gira em torno do caos que se tornou nosso mundo após magos espalharem horror pelos Três Grandes Reinos.

 Para conhecer um pouco mais da história, trouxemos cinco frases que vocês precisam ler. Confiram! 

“Divergências de opinião podem ferir o orgulho daqueles que bradam ao mundo suas convicções, mas temem suas verdadeiras formas”.

“Sabemos que a morte nos espera. O problema não é quando ela vem para levar nossa vida, mas para levar as pessoas que fazem parte dela”.

“Erros sempre serão cometidos, mas a ampulheta não faz subir a areia que já caiu”.

“Se música não é magia, então não sei o que pode ser”.

“O medo que as pessoas sentem sobre o que os outros pensam delas pode acabar se tornando uma escura prisão”. 

As terras de Arkandur formam o último continente, o único lugar onde a humanidade preservou e vive em paz com os sábios conhecidos como magos. No entanto, tudo muda quando rituais necromânticos começam a espalhar caos e horror pelos Três Grandes Reinos.

 Os reis, receosos e pressionados por seus conselheiros, decidem assinar a lei que proíbe permanentemente a prática de magia. Os magos passam a ser caçados não somente pelas tropas reais, mas também pela sombria cavalaria da Justiça Armada Noturna, cujas espadas são tão gélidas quanto suas almas.

 Porém, dentre os poucos sobreviventes, surge Barton: um bardo capaz de tornar os sons do mundo em sua fonte de magia. Atormentado após presenciar o assassinato da esposa em um lago sem fim, o bardo vê um novo destino à sua frente quando um velho amigo o recruta para uma perigosa jornada.

Atendendo ao chamado, o músico compreende a vida como uma melodia, mas inúmeros segredos estão guardados ao longo das escalas musicais que ele terá de desvendar… Onde cada nota poderá surgir como um aliado… ou um algoz. Uma canção em que deuses e demônios ditam as regras, e humanos e magos clamam para si o direito de reescrevê-las.

 Conheça “O Acorde Vermelho” e “No Passado Era Errado”, dois contos de Philippe Alencar.

comments

Amante de Sherlock Holmes e viagem no tempo, de vez em quando escreve uns textos por aí.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *